A degustação refere-se ao acto de examinar e avaliar o vinho. Os vinhos podem ser classificados segundo o efeito que causam nas papilas gustativas. A doçura é determinada pela quantidade de açúcar residual do vinho após a fermentação.

É possível identificar sabores e aromas individuais graças ao complexo mix de moléculas que a uva e o seu suco podem conter. A degustação frequentemente pode identificar as características de uma uva específica como também os sabores que resultaram da fabricação e maturação do vinho, seja intencional ou não. Os mais típicos elementos de sabor que são intencionalmente introduzidos no vinho são aqueles presentes nos barris de carvalho: chocolate, baunilha, café, além de mato ou couro. Outras variedades de minerais também são absorvidas pelo vinho.

O vinho deve ser degustado no copo ou cálice específico colocando-se apenas uma quantidade suficiente para dois ou três goles. Uma vez aprovado ele pode ser servido até atingir o máximo de 1/3 da altura do copo. Esse procedimento faz com que os aromas se concentrem dentro do copo além de permitir apreciar as cores do vinho em todas as suas tonalidades.

Temperaturas ideais para degustação do vinho

  • Vinhos tintos – 17 a 18 °C
  • Vinho do Porto Vintage – 16 °C
  • Vinhos tintos novos e os verdes – 12 a 14 °C
  • Vinhos da Madeira e Porto comuns – 12 °C
  • Vinhos brancos incluindo da Madeira e Porto – 10 a 11 °C
  • Vinhos Rosé – 10 °C
  • Vinhos brancos novos – 8 a 10 °C
  • Vinhos espumantes – 6 a 8 °C